Fique por dentro

Siga nosso Twitter

Acesse nosso canal

Junte-se a nós no Facebook

Panda gigante tem seu hábitat ameaçado na China

A conservação do panda gigante da China está em risco devido à recente reforma do sistema de posse coletiva da floresta na China. Cientistas propõem programa de eco-compensação para proteger as espécies e oferecer benefícios econômicos para as comunidades

Brasília, 15 de fevereiro de 2013

Conquistas recentes da China, na conservação do panda gigante, estão correndo o risco de serem perdidas pela reforma do seu sistema de posse coletiva da floresta, dizem os cientistas da Conservação Internacional em uma carta publicada na revista Science. A reforma de 167 milhões de hectares de floresta chinesa – dos quais 345,700 hectares constituem 15% do hábitat remanescente do panda – permite que famílias de agricultores individuais possam transferir ou alugar direitos de exploração a empresas externas. 

Russell Mittermeier, co-autor do estudo ‘Ecocompensação do hábitat do panda gigante’ e presidente da Conservação Internacional (CI), disse: ‘Essa mudança põe esses hábitats vitais potencialmente sob ameaça de corte comercial, aumento da coleta de lenha e produtos florestais, que não são de madeira, por empresas de fora e outras atividades de desenvolvimento comercial. Infelizmente, isso pode acarretar em desmatamento, degradação ou pode atrapalhar até 15% do hábitat remanescente panda gigante. ’
Li Zhang, cientista da Conservação Internacional da China, disse que ‘a reforma contradiz os grandes avanços que o governo chinês tem tido na conservação do panda gigante nas últimas décadas. O governo designou 63 reservas de pandas, que constituem mais de 60% do hábitat remanescente do panda selvagem; melhorou hábitats ameaçados por reflorestamento ou restauração de florestas nativas e restringiu o acesso humano; aumentou o número e capacidade da equipe florestal nessas áreas; proibiu estritamente a caça das espécies; e foi pioneiro em técnicas de reprodução em cativeiro. Como resultado desses esforços, o número oficial de pandas gigantes na natureza aumentou de 1.000, no final da década de 80, para quase 1.600. Seria imperdoável reverter essa grande conquista para essas criaturas majestosas e os recentes esforços do nosso país na conservação. ’
Na carta, Zhang e outro cientista da CI propõem a “ecocompensação” como uma solução para proteger o hábitat do panda gigante enquanto proporciona uma renda para as comunidades locais. Ecocompensação é uma nova estratégia de conservação em que o governo da China volta a comprar direitos de desenvolvimento das comunidades locais, a fim de garantir a prestação continuada de serviços ecossistêmicos. Como parte do acordo da ecocompensação, as comunidades estabelecem um sistema de gestão contratual que enfatiza a tomada de decisão participativa e cogestão dos recursos naturais.
Zhang aconselha: ‘Um programa de “ecocompensação” reduziria a ameaça ao panda gigante e seu hábitat, enquanto cumpriria o propósito da reforma florestal de aumentar os benefícios econômicos locais comprando de volta os direitos de desenvolvimento de certas comunidades dentro de áreas de hábitat de pandas. É nossa esperança que o governo chinês emita a ecocompensação para essas áreas. No entanto, com a atual política da reforma de posse da floresta coletiva, outra opção seria que a sociedade civil comprasse essas áreas de floresta coletiva para estabelecer áreas protegidas por meio de acordos de conservação com as comunidades locais’. 
Um investimento de US$240 milhões em ecocompensação eficaz pode impedir uma queda estimada em 15% na população do panda gigante, enquanto que US$ 2,252 milhões a mais investidos em uma ecocompensação eficaz e restauração de um potencial hábitat poderia recuperar a população de panda gigante em cerca de 40% acima dos níveis atuais.
O panda gigante (Ailuropoda melanoleuca), criticamente ameaçado, é uma das mais conhecidas espécies emblemáticas da conservação da biodiversidade. As florestas antigas são hábitats preferidos do panda, e, juntamente com a presença de bambu, essas florestas são essenciais para a sobrevivência do panda gigante na selva. Historicamente, o panda gigante viveu em grandes áreas da China, bem como partes do Vietnã e Mianmar. Mas devido à redução da cobertura florestal, agitação causada pelas pessoas e mudanças climáticas, o hábitat do panda gigante na selva tem diminuído gravemente, queda de quase 60% nas últimas seis décadas, de 51.000 km² em 1950 para 21.000 km² em 2006.
 
Conteúdo disponível para mídia (***por favor, forneça os créditos da imagem***)
Fotos do panda gigante disponíveis para download: http://goo.gl/L7evZ
Saiba mais em: http://goo.gl/VQF78
Conheça o blog de Li Zhang: http://goo.gl/Kc2xT
Download do estudo: Yang, B., Busch, J., Zhang, L., Ran, J., Gu, X., Zhang, W., Du, B., Mittermeier, R. (2013) “Eco-compensation for giant panda habitat” Science 339:521: http://www.conservation.org/Panda2013PDF
Para mais informações, entrar em contato com:
Marília Guimarães, estagiária de comunicação.
Tel: 61 3226 2491
Email: mfigueredo@conservation.org

Rua Tenente Renato César, 78 – Cidade Jardim – CEP 30380-110

Belo Horizonte – MG – Brasil – Tel.: [31] 3261.3889

©2003 Conservation International do Brasil / Aviso Legal / Política de Privacidade